pontopm
Generic selectors
Somente correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors

100º do Portão das Armas

100º-do-portao-das-armas

No ano do Bicentenário da Independência do Brasil (1822-2022), registrou-se outro feito significativo, na Academia de Polícia Militar do Prado Mineiro. Ouviu-se, o “ecoar os sons dos tambores e dos taróis em magistral solenidade comemoraram-se os Duzentos Anos da Independência do Brasil e os Cem Anos do Portão das Armas da Academia de Polícia Militar.”

A importância desse evento tem significativa importância para os Colegas de Farda do Alferes Joaquim Xavier – o Tiradentes. Testemunham as conquistas da Liberdade e da Paz Social, firmadas no solo da Pátria Amada Brasil. No entanto, dentre os valiosos profissionais mineiros de polícia ostensiva e preservação da ordem pública, o mais feliz é o Major Veterano Carlos Alberto da Silva Santos Braga.

Afeito à pesquisa dos negócios da Corporação Policial mais antiga do mundo, Carlos Braga, buscou informações encontradas, no Brasil e Portugal, quando residia, até pouco tempo, em Braga-PT. O consistente Relatório de Pesquisa, denominado O Portão das Armas da Academia da Polícia Militar Mineira é um Pórtico Colonial, mostra aos interessados na esplendorosa História Mineira e Portuguesa.

O Relatório da Pesquisa (veja no link abaixo) foi publicada neste Ponto PM! Aliás, Carlos Braga, ao lado dos Camaradas Coronéis Veteranos — João Bosco de Castro e Marcílio Fernandes Catarino —, compõem o Rol dos nossos Ilustres Articulistas.

Assim, em consequência das decisões estratégico-táticas da Liderança do Sistema de Ensino da Polícia Militar de Minas Gerais, Carlos Braga endereçou a seguinte correspondência:

“Braga – Portugal, 12 de setembro de 2022

Exmo Senhor Coronel PM Rodrigo Sousa Rodrigues
Digníssimo Comandante-Geral da Polícia Militar de Minas Gerais

Excelentíssimo Senhor Comandante-Geral, bom-dia!

Distante fisicamente, mas presente no respeito e na ordem em que nos inserimos, valho-me das presentes palavras para expressar algo comum a todos os amantes da realidade estoica – a gratidão – expressão de amor à verdade necessária, a única que existe e que só subsiste pelo compromisso com a correção, com a justiça, com a solidariedade e com o respeito por todos quantos fazem parte das nossas memórias.

A fim de demonstrar a gratidão que se fez ecoar nas Minas Gerais, na noite do dia 9 de setembro do corrente ano, quando no Pátio da Academia de Polícia Militar do Prado Mineiro, sob os auspícios do seu Comandante, o Senhor Coronel PM Eugênio Pascoal da Cunha Valadares, fizeram-se ecoar os sons dos tambores e dos taróis em magistral solenidade comemoraram-se os Duzentos Anos da Independência do Brasil e os Cem Anos do Portão das Armas da Academia de Polícia Militar. Valho-me de uma expressão germânica de agradecimento, própria da região da Baviera: “Ich bin deine Servus” e sendo Vosso Servo, ponho-me ao caminho.

O caminho que se faz pelo significado de irreparável ato de amor à Pátria, às tradições, às pessoas e aos significados das edificações nos ritos de passagens que se manifestam na transposição dos umbrais do Portão das Armas da Academia de Polícia Militar, onde o cidadão deixa de existir e passa a ser o Homem-Estado e justamente por passar a ser o Homem-Estado a sua vida não vos pertence, passando a pertencer ao conjunto do simbolismo próprio da Ordem Militar e o compromisso com a Paz Social em Minas Gerais.

Sou sim o autor de uma obra – História (in)Completa da Academia de Polícia Militar de Minas Gerais – Símbolos, Ideais e Conhecimento – que procura resgatar toda a importância do conjunto material e imaterial que se encontra inserido no contexto da Academia da Polícia Militar de Minas Gerais, todo o capital intelectual e valor agregado que constituem a força e o domínio da inteligência institucional, tal obra se encontra disponível no espaço virtual da PMMG e é facultado a todos que a queiram transformar em meio material, afinal ela não me pertence, na verdade eu é que me pertenço a ela.

Mas na verdade não é sobre ela – a minha obra – que se estruturam essas ideias, tento ajuntar as palavras para fazer fluir de mim algo que é parte de um conjunto de ações que têm um só objetivo: dignificar aqueles que, como eu, encontram no Portão das Armas da Academia de Polícia Militar a essência do que nos tornamos e ao nos tornarmos o que somos, ecoam as palavras de Saint-Exupéry, em sua icônica obra, “Nos tornamos eternamente responsáveis por aquilo que cativamos”. Aqui o que cativamos é o significado do Portão das Armas.

Fui eu, com certeza, apenas aquele que teve a grata oportunidade de conviver com pessoas que conheciam a história oral da edificação, seu período histórico e as autoridades relacionadas a ele, coube a mim, organizar as palavras, colecionar imagens, conhecer ideias e pensamentos e por fim materializar. Não sendo eu, com certeza, em outro período o Idealizador indicaria outra Criatura para observar a Natureza e com pureza de Alma, transformar em sonhos o que se materializou na noite do memorável dia 9 de setembro de 2022.

Já não cabe a mim, mas cabe sim naquele que, como eu, sonhou e deu o passo seguinte e dele temos a certeza de que com o Coração agiu e essa certeza deriva de quem ele é, de onde vêm seus princípios e para onde seguem seus sonhos. O conheci quando ainda Aspirante-a-Oficial, no ano de 1987, cheguei na icônica Vila Vitoriana, construída pela Coroa Inglesa como entreposto do ouro que se produzia nas Minas de Paracatu do Príncipe e que mais tarde encampada pela Rede Mineira de Viação foi cedida à Força Pública de Minas Gerais para a instalação do 7o BPM, tornando-se uma Vila Militar, construção histórica ímpar e pouco conhecida.

Ele ainda criança, eu no Aspirantado passei a conviver com o seu saudoso pai, Cel PM Veterano José Geraldo da Cunha Pinto, pois servindo na Companhia Escola o seu pai era o P3 da Unidade, o responsável pelo Ensino e Instrução, na mesma Unidade sucedi ao seu tio, o Ten-Cel PM Veterano Raimundo da Cunha Pinto, na Seção de Manutenção e Transportes. Na 10a RPM trabalhei com outro tio dele, o Cel PM Veterano Júlio da Cunha Pinto. Na antiga 2a RPM, em Bom Despacho, trabalhei com mais um outro tio dele o Cel PM Veterano Geraldo da Cunha Pinto. O seu primo, o Cel PM Veterano Cícero Leonardo da Cunha Pinto, conheci na mesma época que cheguei para o Aspirantado no 7o BPM.

Pois de uma pessoa criada na estrutura da Vila Militar de Bom Despacho, com todo o seu entorno respirando Polícia Militar de Minas Gerais, com a cultura ostentada pelo saudoso pai, com o corpo docente do Colégio Tiradentes da PMMG em Bom Despacho, com a vida diária em constante contato com a História das Revoluções que a PMMG participou, principalmente 1932 e 1964 – Cel PM Edmundo Lery Santos e Cel PM José Geraldo de Oliveira – não se esperaria outra atitude senão a de valorizar um ícone da Polícia Militar de Minas Gerais, a iconografia representada pelo Portão das Armas da Academia de Polícia Militar e aqui cabe ressaltar aquilo que é comum aos amantes da cultura, saber que uma iconografia não é apenas uma imagem, mas uma forma de escrita onde cada detalhe representa uma informação a ser decodificada.

Rendo as minhas homenagens à Polícia Militar de Minas Gerais pelo reconhecimento da obra iconográfica denominada Porta Neocolonial do Prado Mineiro, o nosso Portão da Academia de Polícia Militar, que na pessoa do seu Excelentíssimo Senhor Comandante-Geral aquiescendo as ideias do Senhor Coronel PM Comandante da Academia de Polícia Militar, Cel PM Eugênio Pascoal da Cunha Valadares, aplainou as montanhas da vaidade e construiu uma nova seara que, com certeza elevará a obra arquitetônica em Estilo Neocolonial, marco institucional da Instituição de Ensino Superior da PMMG, a novo patamar como patrimônio histórico-cultural do Estado de Minas Gerais.

Meu muito obrigado, pela transformação em realidade da história oral que se transmitiu de gerações em gerações e naquele memorável 9 de setembro de 2022, torna-se parte integrante das datas comemorativas da minha querida Polícia Militar de Minas Gerais

Respeitosamente,

Carlos Alberto da Silva Santos Braga, Major PM Veterano”

Com as informações de o Ponto PM.

9 Responses

  1. Senhor Coronel Isaac CEO do espaço virtual PontoPM, boa-tarde!

    Não há palavras para expressar o meu agradecimento ao que se descreveu no texto publicado no espaço virtual PontoPM, pois tudo quanto pude produzir o fiz pela oportunidade que Vossa Senhoria me proporcionou de fazer chegar a todos os interessados o pouco que acumulei em conhecimento e vida. Obrigado a todos e em especial ao espaço virtual PontoPM. Cumprimentos.

    1. Parabéns nobre amigo e irmão de farda, Carlos Braga. Você é reconhecidamente um dos maiores pesquisadores e escritores da PMMG. É uma honra muito grande ter uma pessoa do seu naipe integrando a nossa turma de Aspirantes 1987. Grande abraço e continue brilhando e enaltecendo nossa Instituição 👏

      1. Meu caro Amigo Coronel Veterano Valter Braga do Carmo, da minha turma de Aspirante-a-Oficial PM de 1987, a felicidade em compor uma turma de Cadetes da Academia de Polícia Militar de Minas Gerais é algo que só pode ser dimensionado por quem efetivamente a compôs, não se dimensionam os percalços vividos, nem mesmo em turmas diferentes do mesmo ano, cada turma é única e mesmo pertencendo ao conjunto do ano, turmas diferentes, vivenciam realidades diferentes. No dia 10 de outubro último festejou-se os 35 anos da formatura da nossa turma de 1987 e em especial reverencio a presença e a memória de todos os Cadetes do CFO-3A. Parabéns a todos nós.

    2. Estimado Carlos Braga, enalteço sua dedicação, zelo e comprometimento com as questões históricas de Nossa Polícia Militar e nossos Estado e País.
      Sua colaboração, ao Ponto PM, é preciosa! De forma solícita, constante e participativa, enriquece-os, com seus conteúdos consistentes, frutos de pesquisa cuidadosa e escorreita!
      Parabéns, pela excelente iniciativa.

    1. Meu sobrinho Alexandre Magno de Miranda, obrigado pela sua manifestação no espaço virtual PontoPM e de forma muito particular agradeço sua disponibilidade para com as minhas demandas ao longo da vida, principalmente com a minha filha Melissa Mariana Ferreira Silva.

  2. Que bom, podermos contar com pessoas que se interessam, dedicam e têm o prazer de nos trazer, mais um pouco de nossa história.
    Parabéns, irmão Carlos!

  3. Meu dileto Amigo e companheiro nos cinco anos do Curso de Formação de Oficiais e Aspirante da Turma de 1987, Coronel Veterano Antônio Roberto Sá, sempre presente neste espaço virtual PontoPM a quem devo significativa importância no conjunto das minhas memórias, muito obrigado pela presença.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre o(a) Autor(a):

Picture of Equipe PontoPM

Equipe PontoPM