pontopm
Generic selectors
Somente correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors

O Portão das Armas da Academia da Polícia Militar Mineira é um Pórtico Colonial

Ao longo dos anos muitas pessoas passaram e continuam a passar pela Rua Diabase, no bairro do Prado, em Belo Horizonte e não se dão conta do Pórtico edificado para celebrar os 100 anos da Independência do Brasil. O Portão das Armas da Academia de Polícia Militar é um marco incorporado ao patrimônio da Capital das Alterosas. Foi edificado durante o Governo de Afonso Vaz de Melo, à frente da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte; quando o Governador do Estado de Minas Gerais era Arthur Bernardes e o Presidente da República Epitácio Pessoa.

O Pórtico edificado no Prado Mineiro, no ano de 1922, ano do Centenário da Independência do Brasil, é uma manifestação de um estilo de época da arquitetura portuguesa denominado “Estilo Colonial” presente nas colônias portuguesa e adotado em alguns locais da Metrópole.

As linhas geométricas e os azulejos azuis emprestam caráter ao estilo arquitetônico que se multiplicou por todas as possessões portuguesas pelo mundo e ganha significativa expressão no início do século XX com uma apurada maturação que vai encantar os arquitetos em Portugal e particularmente no Brasil.

Um Pórtico tinha diversas funções nas cidades – historicamente abundavam nas Cidades-Estados Européias e nos Coutos de Portugal –  nos séculos XVI a XVIII era o local onde se dava o controle de fronteiras; acontecia a tributação dos produtos que entravam e saiam das muralhas das cidades e por onde passavam as tropas militares nas derrotas e nos triunfos.

O Pórtico do Prado Mineiro edificado para as Comemorações dos 100 anos da Indepedência do Brasil, teve um significado muito importante – já distante da concepção original dos séculos XVI a XVIII –  que foi galardoar as pessoas que participaram da Feira dos 100 anos da Independência do Brasil, transpor o Pórtico do Prado Mineiro e ser parte da Feira era um privilégio e uma responsabilidade institucional para com a República.

Naquela época a posse dos novos Prefeitos e Governadores se dava no dia 07 de Setembro e a posse do Presidente da República se dava no dia 15 de Novembro. Assim, no dia 07 de Setembro de 1922 Flávio Fernandes dos Santos assumiu a Prefeitura de Belo Horizonte e Raul Soares de Moura o Governo do Estado de Minas Gerais, tendo como vice-governador Olegário Maciel. O Presidente da República que tomou posse em 15 de Novembro foi Arthur Bernardes, o ex-governador de Minas Gerais.

Obviamente que não estava, sobre a disponibilidade da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, o espaço onde hoje temos o Pórtico e que nem tampouco o atual Portão das Armas da Academia de Polícia Militar se presta ao objetivo inserido na sua concepção. 

Mas, independente disso, como nas palavras do Coronel Idimar Vilas Boas, o Portão das Armas da Academia de Polícia Militar presta-se a nos  lembrar que: “ A grandeza da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais também foi feita pelo sangue dos que tombaram envergando a sua farda e sobre a sombra da Bandeira do Brasil”.

Tanto o Pórtico edificado no Prado Mineiro em Belo Horizonte – MG, no ano de 1922, como um  prédio que está localizado na cidade de Aveiro em Portugal, edificado no início do século XX, nos remetem claramente ao conceito de estilo arquitetônico aqui abordado, não permitindo qualquer especulação que tenha o condão de divagar sobre o tema. 

As fotos que se seguem, sobre ambas edificações, falam por sí.

19 Responses

  1. Obrigado pela excelente aula de história do Brasil é sempre bom tomar conhecimento da história do nosso país. As fotos nos leva ao tempo das colônias.

    1. Meus tios, obrigado pela oportunidade de levar aos Senhores um pouco das minhas observações, através do espaço virtual pontopm.com.br. Espero produzir textos que os agradem.

  2. Bom dia meu amigo.

    Parabéns pelo artigo, que demonstrou a importância da arquitetura portuguesa no imponente Portão das Armas da Academia de Polícia Militar de Minas Gerais.

    A história nos brinda com tamanha magnitude, a importância dos umbrais do Prado Mineiro.

    Saibamos cultuar essa fragmento de nossas origens, valorizando ainda mais nossa bicentenária e gloriosa Polícia Militar de Minas Gerais.

    Tenha um ótimo dia abençoado.

    Abraços.

    Alan Elias.

    1. Alan Elias da Silva, continuo a merecer a sua visita nesse espaço virtual, pois essa é a compreensão que temos da sua manifestação. Cabe a mim produzir o que de melhor tenho, em puro respeito ao espaço pontopm.com.br. Neste momento nos unimos em objetivos comuns que transcedem o entendimento.

  3. Muito bom, conhecer a verdadeira origem do pórtico do Prado Mineiro, atualmente pertencente à Academia de Polícia Militar de Minas Gerais.
    Importantes recordações tenho sobre o lugar.
    Congratulações!!!

    1. Meu caro Antônio Roberto Sá, aqui no espaço virtual pontopm.com.br, procuro transmitir aos amigos as minhas inquietações, obrigado pela oportunidade que nos faz crescer a ambos.

  4. Parabéns, Major Carlos Alberto da Silva, por sua importante narrativa sobre o pórtico de estilo colonial da Feira Agropecuária de Minas Gerais, no Prado Mineiro, transfeito em Portão das Armas do Departamento de Instrução da FPEMG, atual Academia de Polícia Militar do Prado Mineiro, nossa Nobre Escola. Você não abordou o fato de ser tal Pórtico a única expressão arquitetônica chinesa erigida em Minas Gerais… Abraços camonianos e marianianos!

    1. Sr Cel João Bosco de Castro, muito obrigado pelas palavras dirigidas à minha pessoa, em função desta publicação. A intervenção de Vossa Senhoria, joga uma luz importante sobre o conceito estrutural do Estilo Arquitetônico Colonial Português, o Império Português achava-se delimitado pelo Tratado de Tordesilhas de 1494, indo da América do Sul até o Japão, englobando a América, a África, a Ásia e a Oceânia, sem descuidar que os navegadores portugueses fizeram a circunavegação da Terra pelo Continente Antártico em 1520 com Fernão de Magalhães e através do Continente Ártico em 1588 com João Martins passando pelas Américas e em 1660 com David Melgueiro passando pelos países nórdicos europeus. Assim a influência arquitetônica dos países orientais – China, Japão e Índia diferenciadamente – é sobejamente incorporada ao Estilo Arquitetônico que se reproduzirá no Brasil e em Portugal. O Império Português foi objeto de Estudo pelo Serviço de Inteligência Britânico em 1919 quando do Tratado de Paz pós 1 GGM e ainda, naquele momento, era considerado expressivo e estratégico.

  5. Recentemente o Cel Ulhoa publicou uma foto da época em a APM era a Feira de Agropecuária .

    1. Cara Sra Áurea S. S. Araújo, muito obrigado pela visita a esse espaço virtual denominado pontopm.com.br, as vossas informações nos ajudam a identificar pessoas que podem contribuir para a memória visual de uma época.

  6. Parabéns. Muitos não conhecem a história daquele pórtico, o vetusto portão da Academia da PMMG.

    1. Obrigado meu caro Celton Godinho de Assis, a sua amizade e a sua constante presença neste espaço virtual, carinhosamente denominado pontopm.com.br, muito contribui para as minhas produções.

  7. Parabéns, Carlos, com o aparte do João Bosco de Castro, fecha-se o circulo das principais informações sobre o Portão das Armas da nossa Academia. No meu livro de poemas, tem um sobre esse mesmo marco de nossa história miliciana. Quando o amigo vier ao Brasil, faça contato que terei a honra de ofertar-lhe um exemplar.
    Abraços do amigo
    Cel Veterano Guilherme

    1. Sr Cel José Guilherme do Couto, obrigado pela manifestação de apreço, no que tange ao Pórtico do Prado Mineiro a minha contribuição é apenas uma pequena parcela de um somatório maior, manifesto em nossas memórias. A visita e o exemplar do vosso livro, com certeza, muito me agradam.

  8. Bela transmissão de conhecimento de um rico acervo cultural que pra muitos passa despercebido…
    Parabéns, prezado amigo!

    1. Caro Brácaro-Pernambuco, feliz pela assiduidade ao pontopm.com.br, um espaço virtual que permite a nós outros externar o acúmulo de memórias visuais, mais feliz ainda, por se tratar das manifestações de um grande construtor de prédios e de amizades.

  9. Grande amigo Carlos, carinhosamente chamado de Carlogal, parabéns pelo brilhante artigo que nos brinda e remete à saudosa APM
    Seria bacana se pudesse acrescentar fotos comparativas do Portão das Armas original e o atual.
    Ele sofreu alguma alteração estrutural durante esses quase 100 anos de existência?

    Grande abraço e obrigado pela aula

    1. Caro Valter Braga do Carmo, obrigado pela manifestação. O Pórtico se mantém inalterado estruturalmente, desde a sua edificação, o que se altera no conjunto é o Portão de Ferro que estava localizado na arcada central e que durante muitos anos ficou guardado atrás da Capela, encostado no muro da Cavalaria. Existiam fotos antigas no Museu da APM, atualmente não sei se ainda existem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre o(a) Autor(a):

Picture of Carlos Alberto da Silva Santos Braga

Carlos Alberto da Silva Santos Braga

Major PM Carlos Alberto da Silva Santos Braga, natural de Bom Despacho - MG é Aspirante-a-Oficial da Turma de 1987. Ingressou na PMMG no ano de 1982, no Batalhão de Polícia de Choque, onde fez o Curso de Formação de Soldados PM. É Especialista em Trânsito pela Universidade Federal de Uberlândia e Especialista em Segurança Pública pela Fundação João Pinheiro. Durante o serviço ativo como Oficial na PMMG - 1988 a 2004 - participou de todos os processos estruturantes do Ensino, Pesquisa e Extensão. Nos anos de 1989 e 1990 participou da formação profissional da Polícia Militar do então Território Federal de Roraima durante o processo de efetivação da transformação em Estado. Foi professor da Secretaria Nacional de Segurança Pública nos Cursos Nacionais de Polícia Comunitária. A partir de 2005, na Reserva da PMMG, trabalhou como Vice-Diretor da Academia de Polícia Integrada de Roraima - Projeto da SENASP - foi Membro do Conselho Estadual de Trânsito de Roraima, Membro do Conselho Diretor da Fundação de Educação Superior de Roraima - Universidade do Estado de Roraima, Coordenador do Curso Superior de Segurança e Cidadania da Universidade do Estado de Roraima. Foi Superintendente Municipal de Trânsito de Boa Vista, Superintendente da Guarda Civil Municipal de Boa Vista, Assessor de Inteligência da Prefeitura Municipal de Boa Vista e professor nos diversos cursos daquela Prefeitura. Como reconhecimento aos serviços prestados ao Município de Boa Vista e ao Estado de Roraima foi agraciado com o Título de Cidadão Honorário de Boa Vista - RR e com a Medalha do Mérito do Forte São Joaquim do Governo do Estado de Roraima. Com dupla nacionalidade - brasileira e portuguesa - no período de fevereiro de 2016 a outubro de 2022, residiu em Braga - Portugal onde desenvolveu projetos de estudos na área do Conhecimento. Acadêmico-Correspondente da Academia Maranhense de Ciências Letras e Artes Militares - AMCLAM.