pontopm
Generic selectors
Somente correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors

Guerra às Fake News

As Fake News veiculadas nas redes sociais brasileiras incomodaram muitas pessoas, principalmente neste findado 2018. Geraram desavenças e, quem sabe, muito ódio. Para se ter uma ideia da quantidade dessa pernóstica atitude, basta uma visitinha ao Boatos.com, encarregado de analisar as prováveis notícias maliciosas. Assim, na guerra às Fake News, uma das batalhas tem sido travada pelos incansáveis profissionais daquele portal que mostram, nesse vídeo, algumas notícias falsas.

Ressalte-se que as análises das Fake News iniciaram em junho de 2013, segundo os dados expostos na figura abaixo. De lá para cá, até nesta data, foram analisadas 3.708 notícias falsas, nas mídias digitais brasileiras. Lembre-se que, no período considerado, foram realizadas três eleições majoritárias. Duas para Presidente, senadores, deputados federais, governadores e deputados estaduais e uma para prefeitos e vereadores.

Refletir sobre as consequências das Fake News, no cotidiano das pessoas e instituições, deve ser uma de nossas tarefas diárias, quando utilizamos redes sociais. É importante evidenciar que, das análises realizadas nos dados publicados, a maior quantidade foi em 2018 (30,18), seguido pelos anos de 2017 (21,44); 2016 (16,53%); 2014 (16,18%); 2015 (10,52%) e 2013 (5,15%). Desses dados, infere-se que o crescimento, desde o início dos registros, tem sido variado. Não há, igualmente, possibilidades de atribuir um fato específico, tampouco o aumento da utilização das redes sociais.

Ainda, no Ranking das cinco principais Fake News, pelo Boatos.org foram destacadas as seguintes:

Mas a guerra às Fake News, não será bem-sucedida com ações isoladas, aqui e acolá. É desafio imposto aos utilizadores das redes sociais. Cada um deles e todos devem participar ativamente das batalhas diárias. O que fazer? A franca evitação, nas escolhas dos inconsequentes compartilhamentos, é um esforço individual desejável e aconselhável. Faça isso, de forma consciente. Ao final, seremos vitoriosos!

Compartilhe este post! Assim você participará das batalhas necessárias à guerra às Fake News!

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre o(a) Autor(a):

Picture of Isaac de Souza

Isaac de Souza

(1949 _ _ _ _) É Mineiro de Bom Despacho. Iniciou a carreira na PMMG, em 1968, após matricular-se, como recruta, no Curso de Formação de Policial, no Batalhão Escola. Serviu no Contingente do Quartel-General – CQG, antes de matricular-se, em 1970, e concluir o Curso de Formação de Oficiais – CFO, em 1973. Concluiu, também, na Academia Militar do Prado Mineiro – AMPM, os Cursos de Instrutor de Educação Física – CIEF, em 1975; Informática para Oficiais – CIO, em 1988; Aperfeiçoamento de Oficiais – CAO, em 1989, e Superior de Polícia – CSP, em 1992. Serviu no Batalhão de RadioPatrulha (atual 16º BPM), 1º Batalhão de Polícia Militar, Colégio Tiradentes, 14º Batalhão de Polícia Militar, Diretoria de Finanças e na Seção Estratégica de Planejamento do Ensino e Operações Policial-Militares – PM3. Como oficial superior da PMMG, integrou o Comando que reinstalou o Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Sargentos, onde foi o Chefe da Divisão de Ensino de 92 a 93. Posteriormente secretariou e chefiou o Gabinete do Comandante-Geral - GCG, de 1993 a 1995, e a PM3, até 1996. No posto de Coronel, foi Subchefe do Estado-Maior da PMMG e dirigiu, cumulativamente, a Diretoria de Meio Ambiente – DMA. No ano de 1998, após completar 30 anos de serviços na carreira policial-militar, tornou-se um Coronel Veterano. Realizou, em 2003-2004, o MBA de Gestão Estratégica e Marketing, e de 2009-2011, cursou o Mestrado em Administração, na Faculdade de Ciências Empresariais da Universidade FUMEC. Premiado pela ABSEG com o Artigo. É Fundador do Grupo MindBR - Marketing, Inteligência e Negócios Digitais - Proprietário do Ponto PM.