pontopm
Generic selectors
Somente correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors

A descoberta de Uma Joia Bem Guardada

Aconteceu, nesta terça-feira (13), a localização de Uma Joia, que se encontrava entre as bem-guardadas joias de nosso Jornalista João Bosco de Casto. E, foi a Senhora Beatriz Campos de Paulo e Castro, a autora da descoberta de uma joia bem guardada . Após a descoberta, a autora não se conteve. Leu o conteúdo de Poligamia. Depois narrou a descoberta, e, declamou a Poligamia, às pessoas queridas de seu querido esposo.

Poligamia – Uma Joia Bem Guardada 

“Poligamia.

(João Bosco de Castro)

Às Cinco Mulheres Minhas, Que Ainda As Posso Ter.

DÉBORA, és a abelha LIS, a operária 
De vida vária e de cabeça afeita
À vontade virtuosa e ao trabalho!…
JANAHINA: a boa ZÁHIDA, de cabeça e de bons modos,
Cheia de Apolo e de Dionísio, sem aviso,
Que ligas o Mar bramoso ao Paraíso!…
BRUNA, que tens o ar inquieto de uma DÁPHNE
E do campeão: um vencedor fremente.
Que Jamais cansou os ossos e não se cansa a mente!…
ANA, a cordeirinha — Tão LÍVIA, a qualquer hora, todo o dia.
Muito manhosa e coberta de inglesia,
Nesta feliz alegoria de soberba:
Porque são todas — todas e todas! —
Cheias de vida e embevecidas
Desta GRAÇA, a mãe DAGÁ, forte guarida,
A grande Obreira, audaz e muito arteira.
Mas serena, exigente e convencida
De que a Vida vale esta vida!
— E valerá?!… Oh! Se valerá!… —
Oh! Se valeu, inda vale e valerá.
Porque me propelem as Cinco à labuta diuturna
De trabalho ao trabalho, suor e malho,
Peças gentis dum mosaico de retalho!…
Filhas e Mãe, a quem amo e amarei,
A meu modo travesso e silencioso
Aos ouvidos, e ao coração, loquaz,
Que refuta a guerra e guarda a paz,
Dote capaz de tornar o Homem homem,
Neste mercado infeliz de lobisomem!…,
Mundo sutil, que ablui o corpo imundo,
Para fazê-lo mais são e mais fecundo,
Ainda que lhe não respeitem o direito
Filhas e Mãe, de quem gosto e gostarei,
De ser um humano Mundo!…
Filhas e Mãe, de quem gosto e gostarei,
Deste meu jeito, que rejeito,
Pois as amo e amo, tanto,
Tanto e tanto, que o meu acalanto
Não passa, às vezes, de silentes suspiros, 
Que não lhes dizem, mas lhes falam uma verdade!
E a verdade fala:
Enquanto houver Amor, A Vida exala
O hálito perene e tão solene:
Que não é mais que a própria vida,
Esta nossa, que é só nossa, e a Outra Vida!
Bafejo real ou sopro incerto de quimera,
Esta vida une o Outono à Primavera!

Belo Horizonte, MG, 12 de setembro de 1.987.

JOÃO BOSCO DE CASTRO

A Declamação da Joia bem Guardada

Coube, à Senhora Beatriz Campos de Paulo e Castro, compartilhar, com os queridos familiares e amigos do Poeta João Bosco de Castro uma declamação da Joia Bem Guardada.

Ouça, por favor, o seguinte áudio:

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre o(a) Autor(a)

Equipe PontoPM

Equipe PontoPM