pontopm
Generic selectors
Somente correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors

A SEGURANÇA PÚBLICA BRASILEIRA

A frase destacada na imagem, sobre a Segurança Pública Brasileira, é do Jornalista Alexandre Garcia. Foi retirada do vídeo abaixo, onde há comentários do experiente e laureado Repórter-Decano. Nos comentários, há informações sobre fatos históricos e atos heróicos de mineiros dignos de nota.

Ao final do vídeo, Alexandre Garcia comenta o teor da frase destacada na imagem. Cita o nome do Delegado Palumbo, que é Deputado Federal, pelo Estado de São Paulo, na presente legislatura. A Segurança Pública — a Educação e a Saúde — é da responsabilidade do Estado Brasileiro e não de Governo. Mas, não é isso que acontece, desde o final da década passada.

De lá para cá, assiste-se sistemáticas mudanças na Segurança Pública Brasileira, a exemplo do que ocorrerá no próximo dia 1º de fevereiro deste ano. Uma simples pesquisa, nos fartos Decretos publicados à regularização da burocrata Pasta Ministerial, expõe enorme idas e vindas em busca do nada no espaço do nunca. Salvo algumas pífias tentativas de trovações de atribuir competências e designações de órgãos executivos, interferindo, não se sabe o porquê, nas unidades federativas e municipais brasileiras.

Outrora, Notável Professor, da Polícia Militar de Minas Gerais, e Desembargador aposentado, recebeu o convite para chefiar a Pasta do Ministério da Justiça e da Segurança Pública. De forma polida e elegante, agradeceu ao convite, recusando-o, num tempo de possíveis calmarias. Tal qual aquele Chefe do Executivo, o atual convidou outro desembargador aposentado.

A confusão daquela pasta, por conta das múltiplas atividades, responsáveis pela Justiça e Segurança Pública, não motivou a desistência ao convidado. Aliás, demostra, aparentemente, grande disposição, considerando a publicação do Jornal com a seguinte manchete:

Lewandowski diz que prioridade no Ministério da Justiça será segurança pública: ‘É um grande desafio’

Volta-se à frase inicial para indagar: não é mais ajuizado ao novo ministro cuidar da parte da justiça e delegar aos chefes dos executivos estaduais e municipais a parte da segurança pública? No contexto desse complexo desafio, deve-se considerar que a segurança pública brasileira é dificuldade grandiosa. Começa na ambiência do município, e, soma-se aos dos demais municípios brasileiros (5.570), para constituírem as vinte e setes unidades da Federação Brasileira. Esse caminho é a diversidade descrita na frase destacada. Qual é o papel do Ministério da Justiça e Segurança Pública?

Antes de você conhecer o novo Ministro da Justiça e Segurança Pública, no vídeo abaixo, é importante analisar os Decretos reguladores. Você verá, então, que os titulares daquela pasta concorreram (sugeriram ou aceitaram) para que ela se despencasse do nobre papel de gestão da liderança política nacional ao papel de executar, desde a década passada, mediante um órgão criado por ela, ações politiqueiras de proteção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre o(a) Autor(a)

Isaac de Souza

Isaac de Souza

(1949 _ _ _ _) É Mineiro de Bom Despacho. Iniciou a carreira na PMMG, em 1968, após matricular-se, como recruta, no Curso de Formação de Policial, no Batalhão Escola. Serviu no Contingente do Quartel-General – CQG, antes de matricular-se, em 1970, e concluir o Curso de Formação de Oficiais – CFO, em 1973. Concluiu, também, na Academia Militar do Prado Mineiro – AMPM, os Cursos de Instrutor de Educação Física – CIEF, em 1975; Informática para Oficiais – CIO, em 1988; Aperfeiçoamento de Oficiais – CAO, em 1989, e Superior de Polícia – CSP, em 1992. Serviu no Batalhão de RadioPatrulha (atual 16º BPM), 1º Batalhão de Polícia Militar, Colégio Tiradentes, 14º Batalhão de Polícia Militar, Diretoria de Finanças e na Seção Estratégica de Planejamento do Ensino e Operações Policial-Militares – PM3. Como oficial superior da PMMG, integrou o Comando que reinstalou o Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Sargentos, onde foi o Chefe da Divisão de Ensino de 92 a 93. Posteriormente secretariou e chefiou o Gabinete do Comandante-Geral - GCG, de 1993 a 1995, e a PM3, até 1996. No posto de Coronel, foi Subchefe do Estado-Maior da PMMG e dirigiu, cumulativamente, a Diretoria de Meio Ambiente – DMA. No ano de 1998, após completar 30 anos de serviços na carreira policial-militar, tornou-se um Coronel Veterano. Realizou, em 2003-2004, o MBA de Gestão Estratégica e Marketing, e de 2009-2011, cursou o Mestrado em Administração, na Faculdade de Ciências Empresariais da Universidade FUMEC.